Templo Gami, na região de Aba, Sichuan, China monge budista correndo bandeirinhas

12 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DE VIR À CHINA (E A 10 É A RAZÃO PARA VIAJAR!)

O brasileiro não é lá muito versado em Ásia – quando falávamos para as pessoas que iríamos fazer uma viagem longa por aqui, narizes se torciam à nossa frente. De todos, o país mais conhecido e badalado é a Tailândia (que, se for pensar, é uma onda beeeem tardia em relação ao mundo, que já considera o país caro e cheio demais).

Tá em dúvida? Vem para a China!

China, então, é tabu. À China, estão associados os mais variados tipos de preconceitos: o povo é porco, o país é sujo, é tudo imitação, é uma bagunça, é subdesenvolvido. O que vemos aqui, contudo, é um pouco o que se pensa no Brasil, mas muito de algo radicalmente oposto.

Não sei é a distância ou o fato de que nos currículos escolares simplesmente ignoramos a história asiática – dando uma grande ênfase à europeia. Ou ambos.

jiuzhaigou parque nacional lagoa azul árvores lugar mais lindo do mundo
Ou o fato de desconhecer que existam lugares como Jiuzhaigou?

Pensando nisso, aqui vão 12 coisas que você precisa saber antes de marcar seu bilhete para a Terra das Oportunidades.

 

1. AQUI NÃO TEM FACEBOOK, GOOGLE, YOUTUBE. WORDPRESS, SOMENTE QUANDO DÁ NA TELHA.

O Partido Comunista tem uma política de controle de acesso à internet, que bloqueia sites que não lhe interessam – como os do Google. Na onda, vão Facebook, Youtube, Twitter e afins. What’sapp e Skipe estão liberados.

Google Play – também não. Se quiser joguinho novo no seu Android, adicione antes de entrar no país ou use um VPN.

Dizem que eles podem até bloquear o seu e-mail pessoal, caso comece a pesquisar coisas que não são de seu interesse, como o Massacre na Praça da Paz Celestial. How knows? Eu apenas sei que quando entramos no país o WordPress funcionava 100% – e agora, a cada dia uma função não carrega mais na página.

Não pense, contudo, que os chineses vivem sem a maravilha das redes sociais! Há Facebook chinês (Renren), What’sapp chinês (Wechat/Weixin), Youtube chinês (Youkou), Google chinês (Baidu), Twitter chinês (Sina Weibo).

 

2. OS CHINESES FUMAM. MUITO.

Cortando carne no Quateirão Muçulmano de Xi’an, não importa: eu fumo mesmo assim, não tenho consigo me controlar.

O país é o maior produtor e consumidor mundial de cigarros e, apesar das leis anti-fumo e de avisos de proibido fumar nos lugares fechados, eles não estão nem aí.

Num restaurante em Beijing, o companheiro da mesa ao lado achava que colocar o braço com cigarro para fora era suficiente para atender à lei (é claro que as nossas roupas e cabelos saíram cheirando aos anos 90). Aqui no hostel de Xi’an, o próprio dono fuma onde quiser.

homem chinês fumando xi'an
Tranquilão, no portal de entrada do Quateirão Muçulmano em Xi’an, só tragando e vendo as “mina” passar… 😛

Ontem aconteceu uma coisa engraçada: quando o Fernando foi reclamar com a garçonete sobre um cliente fumando em um outro restaurante, ela simplesmente foi lá, apontou para nós e lhe entregou um cinzeiro (!). É, não falamos chinês ainda.

 

3. SE FOR LOIRO, PREPARE-SE PARA VIRAR ÍDOLO

mulher chinesa rindo
E para receber gracinhas das tiazinhas que querem tirar foto com você ou sua filha

As pessoas nos param na rua para tirar fotos (e olha que ainda estamos apenas nas cidades grandes). Hoje, subindo uma escada no Mausoléu Yangling da Dinastia Han (Hanyangling), a Sara ficou um pouco para trás. Um cara não teve dúvidas: aproveitou a deixa e quis pegá-la no colo. No no no!!!

De modo geral, contudo, os chineses são muito cordiais. Eles se espantam nos olhando, riem um pouco, apontam, ficam encabulados. É uma reação até ingênua, se for pensar.

Quando sabem falar inglês, nos dizem como ela é linda – ou, mais comumente, “lovely”. Muitos pedem para tirar foto. A Sara é a campeã (mas nunca quer tirar), mas já pararam a mim e ao Fernando para fotos também.

 

4. A CHINA TEM 5000 ANOS DE HISTÓRIA E QUER CONTÁ-LA

coroa princesa chinesa azul bordado pedrarias
E você pensando apenas nos Guerreiros de Terracota, né, amigo?

Ou pelo menos é o que diz a cultura popular por estas bandas – apesar de que há controvérsia se isso é ao menos possível.

Antes de vir para cá, vale ao menos dar uma lida na página da Wikipedia para se familiarizar com os termos, os períodos e as dinastias. Contudo, não priemos cânico: você também pode aprender como os locais – indo aos museus.

O Museu Nacional da China em Beijing é imenso, e a exposição permanente do subsolo – Ancient China – te faz caminhar pela história começando lá pelo Paleolítico. Mesmo que a visão do Partido Comunista seja sempre de que tudo chinês é “lindo”, “maravilhoso”, “engenhoso”, “criativo”, vale E MUITO a aula de história.

Em Xi’an, onde a turma passa voando para ver os Guerreiros de Terracota, o tal Mausoléu Hanyangling tem uma exposição muito mais explicativa de por que e como se faziam as tumbas com figuras de cerâmica. E tem duas pirâmides para você chamar de suas.

 

5. HÁ VÁRIOS TIPOS DE SUJEIRA

lago azul transparente tronco imerso
Tronco de árvore no fundo do lago no Parque Nacional de Jiuzhaigou conta como sujeira? 😉

Malucos por limpeza, por favor pulem para o próximo tópico.

Assim como a gente vai na casa dos outros e encontra um monte de falhas, os alemães vão ao Brasil e acham tudo MUITO sujo. E os brasileiros vem à China e, bem, têm que se adaptar à situação.

A questão é cultural: estamos num hostel bem bacana aqui em Xi’an. A moça da limpeza é caprichosa, trabalhadora, dá para vê-la limpando os quartos todos os dias, com água, rodo. Quando ela dá um tapa no nosso quarto, fica bem bom.

Só que a torneira da pia nunca está brilhante. No canto do banheiro tem uma sujeira persistente. A pia em si estava limpa quando chegamos, mas nunca mais foi limpa.

A cozinha é outro departamento – já vimos de tudo e mais um pouco nessas andanças, até gente lavando bacias no meio da rua, com um balde com água sabe Deus de onde.

Esses dias, num site da Wikitravel sobre um lugar da China, vi alguém elogiando determinado hotel, que seria limpo. Logo em seguida, um adendo: “limpo padrão China”.

É isso, caros colegas. Cada povo tem um padrão de higiene, e o da China não é igual do Brasil.

Isso não quer dizer que hostels como o que ficamos em Beijing sejam aceitáveis. Nem eles querem ficar em banheiro com cheiro de ralo: e é por isso que este de Xi’An tem nota maior no Booking (e é bom mesmo).

 

6. QUALQUER ATRAÇÃO É MOTIVO DE COMÉRCIO

Quando falam que o chinês é um bom comerciante, bem, estão falando a verdade. O estereótipo corresponde, neste caso, bem à realidade.

Estávamos caminhando do final da Cidade Proibida, tentando chegar – com os guias mandam – à Praça da Paz Celestial, quando um chinês baixinho, gorducho e com bom inglês nos ofereceu um tour no dia seguinte para a Muralha. Como íamos, e já tínhamos a cotação do hotel, resolvemos ouvir.

A melhor proposta que ele nos fez era assim: 600 yuan num carro privativo caso não parássemos em nenhuma loja vendendo jade. 480 caso parássemos – e não precisava comprar nada. Quando pedi para ele reduzir o preço sem parada na loja (afinal, estamos na onda do desapego, não é? E ninguém merece 3kg de jade nas costas desde o primeiro país em que paramos), ele simplesmente me disse: olha, isso aqui é um negócio. Eu ganho uma comissão levando vocês lá, assim posso fazer um preço melhor.

Melhor do que este exemplo, contudo, são as saídas das atrações. Tá pensando em lojinha de museu? Ledo engano, caro leitor e cara leitora!

Não existe saída de atração sem uma profusão de lojas vendendo o que você imaginar. Em Jiuzhaigou, de urso panda de pelúcia a carne seca de yak, passando por raiz de orquídea, vinho chinês, produtos variados de tear, doces e todo o tipo de comida chinesa.

espetinho carne churrasco yak china
Espetinhos de carne de Yak (sem selo de procedência!!!) na saída do Parque Nacional de Jiuzhaigou. E eles usam máscara´!

Na saída dos Guerreiros de Terracota, uma ala específica de comida. Uma barraquinha – ou mais – de cada lugar da China.

cogumelos mofados china
Cogumelos mofados? Vende também!

Pensa que ficam às moscas? Na na ni na não: os chineses são comerciantes e compradores vorazes!

 

7. AS CAMAS SÃO DURAS. E NÃO ADIANTA RECLAMAR.

É verdade que muitos ocidentais tentam reclamar nos reviews que fazem dos hotéis que ficaram, mas são 10 homens lutando contra 1,3 bilhão de chineses. As camas aqui são duras, mesmo. Dura tipo dormir numa tábua.

Quando um hotel recebe mais ocidentais, é possível que ele tenha alguns colchões mais macios, mas o padrão, querido leitor e leitora, não é esse.

O lado bom é que, como eles, você se acostuma. E dorme bem depois de um tempo – seja pelo cansaço, seja pelo hábito.

 

8. A CHINA É UM PAÍS GRANDE… MUITO GRANDE

Quando começamos a pensar onde ir neste périplo, ficamos extasiados! Quanta coisa maravilhosa para ver! E um visto de turismo de apenas 30 dias – como assim?

Que imagens vem à sua mente quando falamos China? Arranha-céus, avenidas imensas e lotadas, prédios futuristas? Antigos vilarejos parados no tempo, onde se vive uma vida mais pacata?

casa chinesa portão tibetana
Casa nas laterais do Templo budista tibetano Gami, na região de Aba, Sichuan

Pandas? Plantações de arroz a perder de vista? A Grande Muralha e outros monumentos gigantescos de Imperadores malucos do passado?

E que tal o lugar mais estonteante da sua vida?

jiuzhaigou tronco amarelo lago azul verde
Parque Nacional de Jiuzhaigou

Ou uma praia estilo Sudoeste da Ásia?

Algumas das montanhas mais altas do mundo, com picos nevados, alguém?

A China é uns 10% maior do que o Brasil. Se você tivesse que montar um roteiro para conhecer o Brasil, quais cidades incluiria? Quantos dias em cada uma? Quantas deixaria de fora e – o mais importante – por que as deixaria?

Este é o desafio de qualquer um que queria “entender” ou “conhecer” a China. Não há China real ou China falsa – tudo é China. A complexidade, as diferenças entre as cidades, as regiões, os bairros, os diferentes dialetos e línguas, os vários meios de transporte. Tudo é China e faz parte do emaranhado de fios que te farão conhecer o país.

piscinas azuis calcário huanglong china

Ficaremos uns 45 dias aqui. O Ásia de Mochila ficou este mesmo tempo. O pessoal do Living If ficou 4 meses. Nenhum dos três conheceu a China. Todos os três conheceram a China.

Então, relaxe e vá na onda.

A vida é curta, mas a China não (eita, piadinha sem graça essa, hein 😉 ).

 

9. E BEIJING É MAIS CARA E ESTRESSADA QUE O RESTO

palácio de verão summer palace china beijing pequim
Palácio de Verão – outra atração imensa – e carinha

Assim como São Paulo e Brasília são mais caras do que Porto Alegre e Londrina. Os grandes centros geralmente são mais caros – mas Beijing ganha o troféu cidade carinha.

Exemplo:

  • 15 dumplings no restaurante bacaninha dentro do nosso hutong nada bacaninha em Beijing: 55 yuan
  • 15 dumplings no restaurante normal numa rua bacaninha em Xi’an: 16 yuan

Que valha a diferença do naipe do restaurante – mas dá para comprar 3 porções e sobra um troquinho aqui em Xi’an!

Novo exemplo:

  • Cerveja local (500ml) comprada em mercadinho no caminho de casa no hutong em Beijing: 3,50 yuan (e só achávamos em um deles)
  • Cerveja local (500ml) comprada em mercadinho no caminho de casa em Xi’An: 2,50 yuan (em qualquer um que entrarmos – e estamos no centrão de Xi’an, zona HYPER turística).

Mas não é só na comida que Beijing é cara não: hotéis são (muito mais) caros, metrô é mais caro, e as atrações – são absurdas. Qualquer atração custa de 60 yuan para cima. Entrar na Muralha em Muntianyu te dói 45 de entrada + 15 de ônibus + 100 de teleférico e tobogã: 160 yuans. O Palácio de Verão, 60 yuan. Cidade Proibida, mais 60 pilas.

5 dias na cidade e você verá o que é gastar.

 

10. A COMIDA DE RUA. VAI. TE. ENLOUQUECER.

café da manhã chinês dumpling buns cesto bambu xi'an fumegante
O restaurante onde tomávamos café da manhã em Xi’an

Esquece cachorro quente e x-burguer. Esquece pastel com caldo de cana. O Brasil perde de lavada no quesito comida para a China, até nos restaurantes mais improvisados do Universo.

Tipo, em cima de uma bicicleta.

muslim quarter xi'an quarteirão muçulmano china romã suco
Suco de romã, uns espetinhos de carne e uns noodles para o vivente, porque não tá fácil vender comida no Quarteirão Muçulmano em Xi’an – a Meca da comida de rua na China

Em cada rua que andamos, principalmente quando saímos das principais e entramos nas ruas menores, há pelo menos uns 10 restaurantes pequenos por quadra. Cada restaurante tem umas 10 mesinhas cheias de chineses comendo pratos locais – todos os tipos de noodles, de dumplings, de vegetais levemente refogados com os sabores mais extraordinários.

Mas é na comida da rua mesmo que a China arrebenta. Quer saber a melhor coisa que eu já comi na vida? Uma sopa de wonton feita sobre um carrinho mambembe, na esquina de uma rua movimentada de Xi’an.

Custou 5 yuan – algo como 3 ou 4 reais. Leva apenas dumpling, do tipo mais leve e delicado, muita cebolinha e coentro frescos, e um caldo delicioso jogado borbulhante sobre os ingredientes ainda crus. Tudo cozinha enquanto você espera esfriar.

 

11. OS CHINESES SÃO GENTE COMO A GENTE

pau de selfie chinês comprando
E compram pau de selfie até no meio de um parque a mais de 3000 m de altitude 😉

Nos primeiros dias, quando tudo é estranho, quando a comida, o cheiro, o buzinar, as letras, os sons guturais e o escarrar me causam um afastamento de tudo o que há aqui, eu gosto de parar.

Respirar.

Olhar ao redor. Dar-me conta de que os chineses são gente como a gente.

Eles têm fome pela manhã, então deve haver um lugar para tomar café da manhã aqui perto. É só observar.

Eles ficam cansados de subir tantas escadas, então quem sabe haja um teleférico que nos leve mais próximos da Muralha da China. É só observar.

Mais curiosos do que nós por eles, eles estão por nós. Curiosidade não escolhe nacionalidade – é da espécie humana. Estou em dúvida sobre como comprar o bilhete de metrô, ou como pagar o ônibus se não tenho o dinheiro trocado.

Sem problema, é só observar – ou deixar-se observar. Em breve alguém sairá do seu caminho para te levar até onde ficam as colheres no restaurante do shopping. Ou o próprio motorista levantará e arrancará os 23 yuans da sua mão – 1 a menos do que a passagem – e colocará na caixinha de pagamento, mandando você se sentar.

Você é um bibelô chinês, e os chineses irão cuidar de você.

Hoje chegamos para comer num restaurante completamente novo – como se pede comida aqui?

Ficamos uns bons 10 minutos apenas observando o que rolava por ali. O ir e vir de clientes, as seleções que faziam, a comida – apetitosa – que saia da cozinha em grandes vasilhas cerâmicas negras. Observar e ter paciência. Apenas isso.

 

 

 

Falamos inglês, mas isso quase não adianta nada por aqui – pouca gente fala. É quase o mesmo que um cidadão chinês deve sentir enquanto anda no Brasil: pouca gente fala inglês e raríssimos falam chinês.

Mesmo assim, vamos nos virando: mímica, apontar o que queremos e tradutor do celular ajudam. Um pouco de sensibilidade e observação, também.

Com o mínimo de flexibilidade e espontaneidade – olá, brasileiros! – a China pode facilmente se tornar o destino mais inesquecível da sua jornada!

 

 

FATO BÔNUS:

12. DÁ PARA PEDIR VISTO DE TURISTA MAIOR DO QUE 30 DIAS.

Nós tiramos um visto de 45 dias no Consulado Chinês em São Paulo. Como? A gente apenas pediu para 45 dias, e ganhou.

Simples assim.

 

Eu quero ouvir de você: o que pensa da China? Escreve aqui nos comentários – do blog, hein? Porque no Face não “tô podendo” por enquanto 😛

 

Agora, gostou deste post? Então usa os botões abaixo para compartilhar a lindeza que é a China com os seus amigos – quem sabe um deles (ou você!) se anima a vir conhecer essa terra intrigante?

Quer ganhar um ebook incrível com as ferramentas de desenvolvimento pessoal que usamos nas viagens?

Assine a nossa newsletter e receba por e-mail: o ebook é gratuito e está cheio de fotos inéditas!

Sem spam. Só coisa boa.

16 comentários sobre “12 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DE VIR À CHINA (E A 10 É A RAZÃO PARA VIAJAR!)

  1. Amei conhecer um pouco mais da China aos olhos de quem está vivendo esta experiência magnífica. Realmente é completamente diferente de tudo o que se tem na internet. E esses lugares maravilhosos? Meudeus, parece até pintura de tão lindo!!

    Em questão das camas, não sei se me adaptaria muito bem, amo colchão bem macio hahaha e também não sei se teria coragem de experimentar tudo o que se tem para comer por aí, nós brasileiros temos um conceito de como é a China por fora, chega na hora pode ser tudo diferente como você nos mostrou!

    Simplesmente fantástico, me deu vontade de conhecer esse país rs

    1. É, a cama é dura.. Nos Hostels que recebem mais ocidentais, até encontramos colchões mais macios como os nossos – mas naqueles cujo público é principalmente chinês, aguenta coluna!
      Olha que bem coloquei todas as fotos dos lugares mais mágicos – vem um post fresquinho daqui há alguns dias, só para atiçar mais a vontade de vir!

  2. Adorei, exatamente tudo que gostaria de saber. Creio numa nova história brevemente nos livros escolares com visão inclusa da cultura asiática junto a cultura ocidental.
    Parabéns.
    Carlos Henrique.

  3. Maravilhoso. Adorei as dicas. É. ….. todo país tem seus percalços, nós é que nos devemos nos adaptar ao dia a dia deles. Beijos

    1. Com certeza: os visitantes somos nós, não é? Outra coisa: de Chengdu para frente, em direção ao sul, pegamos apenas camas fofinhas. É que a presença de turistas estrangeiros no sul até bem pouco tempo era bem maior do que de chineses, então os hotéis se adaptaram a eles.

  4. Adorei Cristina…
    Sabe que algumas coisas havia me esquecido de mencionar, até porque vivendo aqui há 12 anos, a gente acaba se acostumando e não chama mais tanto a atenção.
    Ri alto com as camas… aqui compramos duvets para todos os colchões, porque ninguém merece…
    Agora se você achou Beijing cara, foi porque não conheceu Shanghai… aqui não deve nada em termos de custo de vida para Singapura e Toquio, por exemplo, consideradas as cidades mais caras da Asia.
    Parabéns por esse e todos os demais posts sobre a China. Adorei!

    1. Olha, depois de um tempo eu até me acostumei com as camas duras, acredita? E acabamos não indo a Shanghai, por entender que era mais uma cidade grande, como outras tantas (claro, mas na China, é tudo diferente!!!) – esta parte do país fica para a próxima viagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *