SÃO MIGUEL DOS MILAGRES – CASAL CUORE E SUA FILHINHA DE QUASE 2 ANOS VÃO À ROTA ECOLÓGICA

Alguns meses após o nascimento da Sara, exausta por uma rotina de amamentação exclusiva e dedicada, cólicas, cocô mole por todos os lados, eu determinei: em nossas próximas férias, quero algo diferente. Não quero nada de subir em ônibus, e hospedagem simples, e fazer as próprias refeições. Quero entrar num desses resorts de praia, sentar na beira da praia, e só ficar pedindo caipirinha sentada numa espreguiçadeira. Quero um lugar em que alguém cuide da Sara por algumas horas, enquanto eu só veja as ondas arrebentarem na areia.

Quando compartilhei o desejo com o pediatra, ele foi enfático: que tal deixar essa praia para depois de 1 ano da criança cor de leite? Fui pesquisar, e a maioria dos resorts cuidava apenas de crianças acima de 4 anos. Ou seja: sonho postergado.

Contudo, Sara com 1 ano e 10 meses e recebemos uma proposta para nos mudarmos para Lins: a 648km de qualquer praia de água salgada aceitável. Não dava mais para postergar a ida. Era agora ou nunca.

Na época, havia lido no Viaje na Viagem sobre a tal da Rota Ecológica, que parecia reunir tudo o que o Casal Cuore gosta: praias limpas, pousadas pequenas, bons restaurantes, nenhuma cadeira e mesa de plástico, ausência de muvuca e dos seus itens relacionados (som alto, sujeira na praia, fila no supermercado, restaurantes inflacionados e de comida pasteurizada).

O único problema: quase nenhuma pousada aceitava crianças. Mas a do Sonho sim! Feitas as reservas, foi apenas levantar vôo e partir.

São Miguel dos Milagres e Porto das Pedras são dois pequenos municípios na costa alagoana. Chegando de Maceió, as primeiras imagens são impactantes: casas pequenas faltando pintura, gente de chinelo andando no meio da tarde, motos carregando sacolas cheias para todos os lados. De uma certa forma, lembrava um pouco Huaraz, aquela sensação de que não tínhamos ido ao lugar certo.

Chegando em São Miguel dos Milagres. alagoas rota ecológica
Chegando em São Miguel dos Milagres.

Porém chegamos à Pousada e começamos a confirmar a fama que precedia a região: um quarto delicioso, com pequena varanda fechada com cerca viva, uma cadeira para descansar. À frente, um mar só nosso, que a cada momento tinha uma cara diferente: calmo pela manhã, seco ao meio dia, vigoroso no final da tarde. Sempre morninho e delicioso.

Um deck nos convidava a tomar uma cervejinha e observar o vai e vem das marés.

 

Num dos dias, pegamos uma jangada e fomos até os arrecifes, iguais aos de Maragogi, porém nossos, apenas nossos. Como é bom saber que ainda existem locais fantásticos e pouco explorados assim no Brasil.

Noutro dia, contratamos um bugueiro e corremos a costa de cima a baixo: até o rio Tatuamunha, ver o projeto que preserva o peixe-boi, subindo até Porto das Pedras para observar o casario e finalizando no rio Manguaba.

Passando pela praia da Laje e a do Patacho: tentando decidir qual das duas era mais linda, mais intocada, mais merecedora do título de praia mais linda já vista pelo Casal Cuore.

 

Subindo no mirante, uma paisagem deslumbrante, lotada de coqueirais, a principal empregadora da região, fora a prefeitura, e todos os tons de azuis conhecidos pelo homem.

Vista da Praia de São Miguel dos Milagres rota ecológica alagoas
Vista da Praia de São Miguel dos Milagres

Ao sul, descendo até a Barra de Camaragibe, onde se através o rio com uma semi-balsa para chegar a uma das praias mais lindas da região: a praia dos Morros. A única coisa para a qual não estávamos preparados: caminhar no meio de um matagal, com arbustos de folhas cortantes, que nos deixou lotados de marcas nas pernas, tentando proteger a Sara.

Porém, de modo geral, apenas curtir o mar, na frente mesmo da pousada. Aproveitar o sol, escutar as ondas, descansar. Preparar-se para o que seriam os anos mais estressantes das nossas vidas (e ainda não sabíamos).

vegetação praia são miguel dos milagres alagoas rota ecológica

Quando somos turistas, queremos descansar. Não somos daqueles incansáveis, que acordam às 5h da manhã para rodar 200km e ver uma praia igual à que está em frente ao seu hotel. Férias são para relaxar, fazer bem pouco, colocar a vida em perspectiva, escrever de frente ao mar, ou observar uma montanha, um lago, um vale, uma serra.

praça da fofoca cocada afrodisíaca são miguel dos milagres rota ecológica alagoas
…ou comer as cocadas mais necessárias!

São Miguel dos Milagres foi o abraço perfeito para a nossa jornada de pais novos. Aqueles 5 dias ficaram marcados como uns dos mais deliciosos das nossas vidas.

Quer ganhar um ebook incrível com as ferramentas de desenvolvimento pessoal que usamos nas viagens?

Assine a nossa newsletter e receba por e-mail: o ebook é gratuito e está cheio de fotos inéditas!

Sem spam. Só coisa boa.

11 comentários sobre “SÃO MIGUEL DOS MILAGRES – CASAL CUORE E SUA FILHINHA DE QUASE 2 ANOS VÃO À ROTA ECOLÓGICA

  1. Olá pessoal. Adorei o post. Vou com meu marido para São Miguel em abril e estou pesquisando o local e só encontro boas avaliações. Queria saber uma coisa: O hotel de vocês era com meia pensão? Se não, era fácil pra comer na cidade? Era caro? Obrigada.

    1. A gente tinha apenas café da manhã. Fomos em 2013, então a situação de comida pode ter mudado. Mesmo assim, a gente comia no hotel mesmo, ou num restaurante de praia que fica na entrada principal da praia onde fica este hotel: o do Enildo. Somos bem tranquilos com comida, comemos no quarto às vezes, com comida do supermercado…

  2. Olá Cristina, meu marido, meu filho de 5 anos e eu teremos férias de última hora por 7/10 dias agora no final do mês. Estamos encantados com a possibilidade de conhecer a Rota ecológica e tentando comprar passagens e fazer reservas. (Somos de São Paulo) Gostaria de saber como chegaram até lá: Voando até Maceió e depois alugando um carro? É possivel ir de carro à praias mais distantes na Rota? há acesso? Queremos descansar, porém conciliar também o passeio com os interesses e diversões para o pequeno. Acha que 7 dias é uma medida boa para ficar na região?
    Obrigado e parabéns pelo post!

    1. Oi, Adriana!

      A Rota Ecológica é um destino perfeito para o que vocês pretendem! Nós cotamos aluguel e transfer na época, e preferimos um transfer – até porque a praia na frente das pousadas é bem boa, então não usaríamos o carro todos os dias. Em 2014, quando fomos, o transfer reservado via o hotel era R$200 por trecho, bem razoável considerando que é uma viagem de cerca de 2h do aeroporto.
      Nós ficamos 5 dias, e teria ficado 7 ou 30 se pudesse voltar! aproveitem!

  3. Oi, Cristina, li seu post no site viajenaviagem, do Ricardo, e fiquei muito feliz com sua avaliação muito positiva da Pousada do Sonho, porque desde ontem, sábado, faço pesquisa por telefone tentando encontrar a mais adequada para mim, e cheguei a essa. Quando vi seu comentário, que era o último, segui o link e vejo que acertei na escolha. Sossego e tranquilidade, por um preço justo, é tudo de que preciso no momento. Contratei o transfer com sr João Carlos (celular [82] 993 669 615), indicado pelo pessoal da pousada, e ele deixou por 200,00 [400,00 ida e volta]. É caro, mas como você observa, é uma viagem longa, de 2 horas, e não teria como fazer esse trajeto de outra forma. Vou sozinha, e quero muito que tudo dê certo – e vai dar. Você acha que devo levar algum agasalho, em algum momento o tempo fica mais fresco, ou só roupa de verão e praia mesmo. Muito obrigada, fiquei muito feliz de conhecer você e seu blog, vou voltar outras vezes.
    Grande abraço,
    Vera Queiroz

    1. Oi, Vera! olha, estivemos por lá no verão, então não fez calor nunca mesmo – e acredito que não faça. Porém, sabe como é, às vezes tomamos sol demais e a pele fica sensível, então eu levaria uma camiseta de manga comprida bem fininha, ou um casaco leve. MUITO filtro solar. e TODA a disposição do mundo para conhecer esse lugar incrível!
      tenho certeza de que você vai adorar! depois passa aqui para contar como foi 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *