CANTORA – CARTAS PARA UM ROMPIMENTO

Oi, Covarde,

Escrevo por que se falasse gritaria, e não posso estragar minha voz. Tu não mereces que eu me desgaste. Tu não mereces nem a tinta deste papel, mas mesmo assim escrevo – ao escrever, deixo para a posteridade, nem que para a posteridade de ti mesmo, o quão covarde és.

Agora circulas por aí de anel no dedo direito, e fazes de conta que estás apaixonado e esta é a tua grande remissão. Pois os pecados que cometeste são infindos e não serão esquecidos pela unção de um objeto circular de ouro. Tudo o que fizeste: carregarei comigo e estará na tua mente, te atormentando.

Houve um tempo, Covarde, em que tinhas mais coragem. Buscava-me no ensaio apenas para me ver um pouco. Ou que vinhas, peito aberto, até minha casa, e conversávamos noite adentro – eu sei de onde tu dormias antes de me conhecer. Tu achas que eu era alheia àquelas mulheres da zona onde te encostavas durante a semana? Não era.

Agora circulas por aí, namorada nova, declarações e todo coragem para assumir a tua condição, quando na verdade nós dois sabemos que não passas de um covarde. Que não tiveste coragem de mergulhar naquilo que sentias por mim. Que não tiveste coragem de me olhar nos olhos e dizer: vamos mandar tudo às favas e ser felizes. Achas que não vi o teu olhar na nossa última noite? Eu reconheço bem um homem apaixonado, e era aquele o teu olhar.DSC_0281 (2500x1656)

Qual o problema em ser o primeiro a dizer? Eu estava aqui, apenas esperando a tua liderança. Aqueles acordos ridículos que fizemos – eram para ser quebrados! Quem faz acordos sobre o amor?

Achas que não te amava? Te amava profundamente. E então um dia, simplesmente esqueceste meu endereço, apagaste meu número. Não haviam mais beijos roubados ou mãos sob a mesa. Tudo isso acabou no dia seguinte ao do teu olhar.

Pensas que não sei? Acovardaste-te naquele dia. Sabes que aqui já havia uma estrela, e que não seria tu.

Estou aqui, sofrendo, mas um dia passa. Sabe-se bem que o tempo é companheiro de quem tem coragem, mas inimigo do que se amedronta. Um dia, verás que perdeste por teres sido covarde.

DSC_0238 (1656x2500)Neste dia, nem me ligues, não me escrevas, nem penses em mim.

Vai na bilheteria e compra um ingresso pro meu show, leva a tua mulher, e fica cantando minhas músicas como se fossem para ela.

Mas tu sabes, e eu sei, que estarás cantando para mim.

 

Quer ganhar um ebook incrível com as ferramentas de desenvolvimento pessoal que usamos nas viagens?

Assine a nossa newsletter e receba por e-mail: o ebook é gratuito e está cheio de fotos inéditas!

Sem spam. Só coisa boa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *