1ª viagem à China – Comendo o Pato de Pequim

No ano passado tive a oportunidade de visitar a China e a Coréia, a trabalho, e isso foi meio que o motivo para eleger a Ásia para o nosso ano sabático. A palavra que me vem, dos dias que passei por lá, só faz sentido em inglês, então lá vai: mind-blowing. Mais ou menos como estourar a mente – ou alucinante, estonteante, arrebatador. Vou postar aqui uma série de posts com fotos desta viagem, para trazer um pouco deste sabor para o blog – e quem sabe instigar um amigo ou dois a nos visitar no final deste ano.

Não almoçamos na visita à Grande Muralha e Cidade Proibida, então o jantar tinha que ser em alto estilo. Bem, talvez seja melhor dizer GRANDE estilo, porque este restaurante sim, É GRANDE. Imenso! Escolhemos o Quanjude Roast Duck, basicamente porque era próximo ao nosso hotel.

Segundo a minha companheira de viagem, que trabalha na indústria alimentícia chinesa, os pratos nem são mais feitos lá e sim numa indústria – tamanho é o número de pessoas que é servido todos os dias. Dá para imaginar: fomos no 4º andar, e todos os andares estavam cheios. Com salas de espera não para 10 ou 15 pessoas, mas para umas 50. Eu tive sorte de ter uma chinesa comigo, que por fim se compadeceu de uns turistas europeus e os ajudou: o sistema de chamar para a mesa é só em chinês, só eles entendem a lógica e vire-se você!

Quando sentamos, a comida veio rapidamente, estava deliciosa e o lugar foi fantástico! Com certeza não é um daqueles restaurantes aconchegantes que o Casal Cuore adora, mas que é uma síntese da China, isso é sim.

Então vamos às fotos:

Quer ganhar um ebook incrível com as ferramentas de desenvolvimento pessoal que usamos nas viagens?

Assine a nossa newsletter e receba por e-mail: o ebook é gratuito e está cheio de fotos inéditas!

Sem spam. Só coisa boa.

Um comentário sobre “1ª viagem à China – Comendo o Pato de Pequim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *